Anuncie

(21) 98462-3212

E-mail

comercial@meusbichos.com.br

O verão é a época propícia para a infestação de pulgas e carrapatos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Além da incômoda coceira, pulgas e carrapatos transmitem doenças. Foto: Pixabay

Quando cães e gatos não param de se coçar, atenção: podem ser pulgas e carrapatos. Com a chegada do verão, os cuidados devem ser redobrados. Afinal, o clima quente é propício para a proliferação de parasitas.

Nas pet shops há produtos de combate e prevenção, que vão desde sabonetes a sprays. No entanto, a maioria das pessoas se preocupa em proteger o mascote. E o ambiente não deve ser esquecido. “A ação deve ser conjunta ou os ovos continuarão eclodindo no ambiente, reinfestando os animais”, avisa a veterinária Tatiana França.

Carrapato não deve ser espremido. “Tem que arrancar com pinça e jogar em uma vasilha com água sanitária”, ensina. No ambiente, a dedetização é com produtos específicos, aplicados nas paredes, frestas de portas e locais frequentados pelos bichos.

Em locais com vasta vegetação, o ideal é o uso da vassoura de fogo. Foto: Pexels

Em locais de vasta vegetação, como sítios, em que há cavalos nas proximidades, o ideal é o uso da vassoura de fogo, maçarico que elimina os carrapatos em todos os estágios da vida. Nos equinos, o carrapato-estrela (Amblyomma cajennense) é a espécie mais comum, mas pode infestar cães e gatos.

Além da incômoda coceira, os parasitas podem transmitir doenças graves. O carrapato doméstico (Rhipicephalus sanguineus) é transmissor da babesiose, erliquiose e hemobartonela. No caso do carrapato-estrela, há o risco da febre maculosa, transmissível ao homem. Pulgas podem transmitir de verminoses a dermatites alérgicas. A prevenção é com banhos, escovação e aplicação mensal de produtos, sob orientação do veterinário.