Anuncie

(21) 98462-3212

Tartaruguinhas no aquário: dicas de criação

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
O tigre d’água tem oasco esverdeado e pode atingir até 32 cm de comprimento quando adulto. Foto: Pixabay

Entre os diversos bichos de estimação, as tartaruguinhas de água doce estão entre os que mais despertam fascínio. Há duas espécies que se adaptam bem ao aquário: o tigre d’água (Trachemys dorbigni) e o cágado aquático (Phrynops hilarii). Estes animais pertencem à ordem dos quelônios – répteis que possuem uma armadura óssea (casco) para se proteger, retraindo total ou parcialmente sua cabeça e membros – na qual estão incluídas todas as tartarugas marinhas e os jabutid.

Bem cuidadas, podem viver mais de 50 anos em cativeiro. E mantê-las sempre saudáveis não é difícil. O tigre d’água pode atingir até 32 cm de comprimento quando adulto e o cágado pode chegar a 40 cm de comprimento. Deevem ser mantidos em um recinto especial chamado aquaterrário, que é uma mistura de aquário com terrário. “A maior parte da área é submersa e dispensa-se qualquer tipo de vegetação, pois seus habitantes tendem a comê-la ou destruí-la”, explica o biólogo Maurício Terra Júnior.

Já o cágado é maior, podendo chegar a 40 cm de comprimento, e tem o casco marrom.
Foto: Reprodução

Onívoras, as tartaruguinhas consomem alimentos de origem vegetal e animal. Diariamente, ofereça pedaços de frutas (menos as cítricas, como laranja e abacaxi, que podem causar gastrite), verduras (exceto alface, que provoca diarreia), camarão, carne bonina moída, fígado, coração e ração balanceada para tartarugas.

As doenças mais comuns nas tartarugas d’água são as respiratórias, pálpebras inchadas, otite e carapaça mole ou com manchas brancas. “Casco esbranquiçados e olhos fechados indicam falta de vitamina A no organismo do animal e incluir peixe e fígado na dieta ajuda a repor esta carência”, orienta o biólogo.

A aquisição desses animais só pode ser feita em lojas ou criadouros licenciados pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente).

Esses quelônios aquáticos devem ser mantidos em um recinto especial, chamado aquaterrário. Foto: Reprodução

Aquaterrário ideal

O ambiente é apropriado para todos os tipos de quelônios aquáticos. A medida ideal é de 1 m (comprimento) x 50 cm (largura) x 1 m (aktura).

Deve ter fonte de calor (termostato de aquário regulado para 25°), termômetro de água, filtro biológico, bomba submersa acoplada ao filtro, pedras grandes bem presas ao solo e parcialmente fora da água, formando uma área seca, e lâmpada UVB para répteis.

*

*

*

***

QUE TAL FAZER UM CURSO ONLINE HOJE?

Se você é apaixonado por aves, aprenda a maneira correta de manejo. Aquira já o “Guia Definitivo de Criação de Calopsitas” e consiga criar sua Calopsita de maneira surpreendente, tornando-se um especialista na criação e reprodução dessa ave. CLIQUE AQUI

Aquire já o “Curso de voo livre da AVOA”. Curso online de voo livre com psitacídeos. O objetivo é obter conhecimento sobre treinamento de comportamento de forma profunda, focando no passo a passo do treinamento para voo livre com psitaciformes. CLIQUE AQUI