Anuncie

(21) 98462-3212

Crocodilo do Nilo chamado de Bin Laden assombra a aldeia onde devorou ​​80 habitantes locais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Animal de 5 m de comprimento exterminou um décimo da população da vila de Luganga entre 1991 e 2005. Foto: Reprodução

Um crocodilo sedento de sangue “imortal” com o nome de Bin Laden comeu 80 aldeões, aterrorizando adultos e crianças durante anos.

Osama, um crocodilo do Nilo que se acredita ter mais de 75 anos, viveu no Lago Vitória em Uganda a maior parte de sua vida. O animal de 5 metros de comprimento exterminou um décimo da população da pequena vila de Luganga entre 1991 e 2005.

O réptil costumava agarrar crianças enquanto elas enchiam baldes de água na margem do lago ou nadavam sob os barcos de pesca e os virava de propósito, relata o “Daily Star”.

Em um ponto, ele também começou a pular nos barcos de madeira dos pescadores antes de levar pessoas para matá-los. Uma das vítimas dos ataques do crocodilo foi um pescador local cujas roupas esfarrapadas foram descobertas boiando na água, segundo relatos.

Outro homem testemunhou e sobreviveu a um ataque do temível réptil, mas seu irmão não teve tanta sorte.

O “Sydney Morning Herald” falou com Paul Kyewalyanga, que estava remando na parte de trás de seu barco enquanto seu irmão Peter pescava da frente quando Osama saltou e o agarrou. Ele relembrou: “Osama acabou de emergir da água verticalmente e caiu no barco. A parte de trás do barco onde eu estava sentado estava submersa.”

Ele tentou procurar ajuda, mas o crocodilo agarrou a perna de Peter com suas mandíbulas gigantes e começou a puxá-lo, tentando colocá-lo na água.

Paul acrescentou: “Peter estava segurando o lado gritando. Eles lutaram por cerca de cinco minutos até que ouvi um som de rasgo. Peter gritou: ‘Ele quebrou minha perna’. Então ele se soltou e foi puxado para a água. Poucos dias depois, seu braço e sua cabeça foram descobertos. “

O crocodilo foi capturado em 2005

Os moradores começaram a pedir ajuda e, em 2005, Osama foi capturado com a ajuda de 50 homens locais e funcionários responsáveis ​​pela vida selvagem. Alguns queriam tirar a vida do réptil, mas oficiais da vida selvagem disseram aos moradores que eles não podiam matar o animal “com impunidade”.

Assim, o réptil foi entregue aos proprietários da Uganda Crocs para que possa ser usado em seu programa de criação. Eles esperam que ele crie centenas ou até milhares de crocodilos enormes, cuja pele possa ser usada na produção de bolsas para fashionistas em países como Itália e Coreia do Sul. A fazenda também se tornou uma atração turística e o público pode visitar e testemunhar os 5.000 crocodilos sendo engordados e prontos para o abate. (PS Meus Bichos: ai, que horror!).

Fonte: Nature World News