Anuncie

(21) 98462-3212

E-mail

comercial@meusbichos.com.br

Fóssil de mini monstro marinho que tinha dentes afiados como lâmina é achado no Marrocos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Fóssil da mandíbula e dentes da criatura marinha. Foto: Reprodução

Um monstro marinho com dentes tão afiados que formaram uma “lâmina em forma de serra” nadou nas águas do que hoje é o Marrocos há cerca de 66 milhões de anos, descobriu um novo estudo científico.

Mineradores descobriram os restos desta criatura – um réptil marinho parecido com um lagarto chamado mosassauro que viveu durante a era dos dinossauros – na mina de fosfato Sidi Chennane, na província de Khouribga, no Marrocos. Assim que os pesquisadores examinaram a amostra, eles notaram seus dentes únicos, que tinham características nunca antes vistas em qualquer outro réptil conhecido, vivo ou extinto, disseram os pesquisadores.

Em homenagem aos dentes brancos perolados mortais, porém estranhos do predador, a equipe chamou o mosassauro de Xenodens calminechari, cujo nome de gênero significa “dente estranho” em grego e latim, e cujo nome da espécie se traduz como “como uma serra” em árabe.

Seus dentes afiados em forma de faca deram a X. calminechari uma mordida cortante de tubarão e podem ter sido a chave para sua sobrevivência. X. calminechari não era grande – era mais ou menos do tamanho de uma toninha (uma espécie de cetáceo) -, então provavelmente dependia de sua agilidade e dentes semelhantes a armas para sobreviver.

Durante o final do período Cretáceo , quando existia o X. calminechari, o Marrocos ficava sob um mar tropical. Essas águas quentes estavam cheias de animais marinhos predadores, incluindo outras espécies de mosassauros, plesiossauros de pescoço longo, tartarugas marinhas gigantes e peixes-dente-de-sabre.

“Uma enorme diversidade de mosassauros vivia aqui”, disse em um comunicado o pesquisador líder do estudo, Nick Longrich, professor sênior do Milner Center for Evolution da Universidade de Bath, no Reino Unido . “Alguns eram predadores gigantes de mergulho profundo como cachalotes modernos, outros com dentes enormes e crescendo até 10 metros [32 pés] de comprimento, eram predadores de topo como orcas, outros ainda comiam moluscos como lontras marinhas modernas. E então havia o pequenos e estranhos Xenodens. A dentição incomum de X. calminechari provavelmente deu a ele uma estratégia de caça única, possivelmente envolvendo um movimento de corte usado para esculpir pedaços de presas grandes, ou em catação”, escreveram os pesquisadores no estudo científico.

“Um mosassauro com dentes de tubarão é uma nova adaptação dos mosassauros tão surpreendente que parecia uma criatura fantástica saída da imaginação de um artista”, comentou a pesquisadora sênior Nour-Eddine Jalil, paleontóloga do Museu Nacional de História Natural de Paris.

A descoberta de X. calminechari também adiciona evidências de que o ecossistema de répteis marinhos, bem como a diversidade estava prosperando no Marrocos no final do Cretáceo. Mas tudo acabou quando a rocha de 10 quilômetros de largura colidiu com a Terra, causando a extinção dessas criaturas marinhas e dos dinossauros.

Fonte: Livre Science