Anuncie

(21) 98462-3212

Conheça as aves da família dos psitacídeos mais populares

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Caracterizada pelo topete e a cauda longa, a calopsita é excelente assobiadora e reprodutora de sons. Foto: Reprodução

Inteligentes, curiosos, fáceis de reproduzir, criar, amansar e adestrar, os psitacídeos – aves de bico curvado – ainda aprendem a falar. Fazem parte dessa família aves como agapórnis, arara, cacatua, calopsita e periquito, entre outros parentes do papagaio.

Os psitacídeos têm conquistado um espaço cada vez maior como aves de estimação. Socializadas, é possível ter essas aves soltas pela casa e convivendo pacificamente com outras espécies de animais, desde que tenham se acostumado a essa convivência ainda filhotes. A relação com o tutor e os demais membros da casa é de interação total. Sobem no ombro, pedem carinho, dançam e aprendem a pegar pequenos objetos. Um exemplo de ave esperta é a papagaio Juju, de 10 anos. “Ela é tagarela, dança, assobia, imita sons como o do telefone tocando e brinca muito fora da gaiola. A Juju fala o nome dela, pede café, canta ópera e o hino do Flamengo. Fora que ela é exibida e também está sempre dando uma de atriz nos vídeos que produzo para as redes sociais”, conta, orgulhosa, Silvania dos Santos, que é criadora e proprietária da loja Atelier dos Pássaros.

Silvania e a esperta papagaia Juju. Foto: Arquivo pessoal

Para ter um exemplar dócil e de fácil manuseio, a principal dica é adquiri um filhote que tenha acabado de se tornar independente dos pais, o que ocorre entre seis a oito semanas de vida. “Se alimentadas no bico, costumam se tornar companheiras muito mansas e divertidas”, destaca o biólogo Flávio Fialho.

Outro fator essencial para que os bichos fiquem mansos é o carinho. “Dou atenção, brinco muito e converso todos os dias com minha calopsita, a Margarida. Se eu não der atenção, ela não para quieta também e faz muito barulho para chamar minha atenção. É uma figura!”, comenta a estudante Priscilla Araújo.

Muitos psitacídeos são hábeis imitadores da fala humana, como o papagaio, a lóris e a jandaia. Já o agapórnis, a calopsita e a arara não falam, mas emitem sons agudos e aprendem a assobiar com desenvoltura. Ensinar a falar depende de determinação e paciência.

“Comece o treinamento com uma única palavra, curta e simples, como olá, oi e lôro. Repita várias vezes ao dia, por 10 a 15 minutos. Em geral, entre 30 a 60 dias após o início das lições, a ave começará a pronunciá-la”, ensina Flávio.

Outra maneira de ensinar é por associação. “Diga ‘bom dia’ ao acordar, ‘boa noite’ ao apagar das luzes e com o tempo a ave repetirá a expressão correspondente com a situação”, garante o biólogo.

Passo a passo para criar:

CALOPSITA. A gaiola deve ter espaço suficiente para que a ave se movimente e abra as asas, com varandas externas que permita ao tutor manusear e soltar a calopsita com mais facilidade. É necessário ter alguns brinquedinhos para o enriquecimento  ambiental. A alimentação deve ser variada, à base de mix de sementes, ração extrusada e farinhadas à base de ovos, específica para a espécie e complementada diariamente com frutas, verduras e legumes.

Periquitos estão entre os psitacídeos mais populares. Foto: Pixabay

PERIQUITO. A gaiola deve apresentar dimensões mínimas que permitam ao pássaro voar. Os poleiros têm de ser construídos com madeira não tóxica, pois os periquitos têm tendência a bicar, especialmente na época de reprodução. Dê frutas como maçã, laranja, goiaba e verduras como brócolis, talo de espinafre, chicória, espiga de milho crua, além de ração industrializada de boa qualidade e mistura de sementes para periquitos – sem girassol e em pequena quantidade.

Jandaias costumam ser bem barulhentas e aprendem a falar com clareza. Foto: Pixabay

JANDAIA. Também conhecidas como periquitões, maitacas e maritacas, costumam ser muito barulhentas, aprendem a falar com clareza e memorizam um vasto vocabulário. Viveiro com no mínimo 1,5 m x 80 cm x 70 cm. Alimente com ração própria para a espécie, mistura de sementes, frutas, legumes e verduras. Venda somente sob licença do Ibama, em criadouros autorizados.

PAPAGAIO. Existem mais de 25 espécies no país. A mais popular é o papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva). Imita a fala humana e prefere as vozes femininas. Quanto mais espaço melhor. As medidas da gaiola ou viveiro devem corresponder ao dobro do tamanho da ave com as asas abertas. Como alimento principal, ração extrusada específica, mistura de sementes (evite dar girassol), frutas, legumes e verduras. Venda somente sob licença do Ibama, em criadouros autorizados.

AGAPÓRNIS. Devido ao comportamento monogâmico (fiel ao parceiro) tornaram-se popularmente conhecidas como ‘lovebirds’, os pássaros do amor. Não falam, mas emitem gritinhos agudos e são muito interativas. Gaiola de no mínimo 70 cm x 40 cm x 30 cm. Dê ração extrusada específica para a espécie, mistura de sementes, farinhada, frutas, legumes e verduras.

Agradecimento: Atelier dos Pássaros

*

*

*

***

QUE TAL FAZER UM CURSO ONLINE HOJE?

Adquira o “Guia Definitivo para Criação de Calopsitas’. Aprenda como tratar suas calopsitas de acordo com as melhores técnicas de manejo. CLIQUE AQUI

Curso online de “Criação de Galinhas Para Iniciantes 2.0”. CLIQUE AQUI

Curso online “Criação de Galinhas Caipiras”. Tudo o que você precisa saber para inicar sua criação e lucrar. CLIQUE AQUI

Veja em nossa loja as melhores ofertas de gaiolas e viveiros para sua ave! CLIQUE AQUI