Anuncie

(21) 98462-3212

O peixinho dourado realmente tem uma memória de 3 segundos?

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Apesar da falta de respaldo científico, o mito da curta memória no goldfish se espalhou amplamente. Foto: Pixabay

Os peixes dourados são conhecidos por seus tons alaranjados e memórias terríveis. Popularmente, acredita-se que essas criaturas têm apenas uma recordação de 3 segundos.

No entanto, este é um mito completo que, apesar de sua falta de respaldo científico, se espalhou amplamente e permaneceu amplamente indiscutível pelo público por décadas.

“O que é desconcertante é que é praticamente igual aonde quer que você vá no mundo”, disse Culum Brown, especialista em cognição de peixes na Universidade Macquarie, na Austrália, ao Live Science. “Em alguns lugares, é 2 segundos e, em outros, é 10 – mas é sempre curto.”


Na realidade, os peixes dourados (Carassius auratus) – ou goldfish – têm memórias muito mais longas, abrangendo semanas, meses e até anos, diz Culum Brown, especialista em cognição de peixes na Universidade Macquarie, na Austrália. “E apesar do que muitos pensam, eles são realmente muito inteligentes.”

Brown estudou a inteligência dos peixes, incluindo peixes dourados, por mais de 25 anos e acha que o equívoco vem de uma combinação de ignorância sobre a inteligência dos peixes em geral e culpa, porque os aquaristas inexperientes costumam mantê-los em tanques pequenos e enfadonhos.

Inteligência do peixinho dourado

Na realidade, os peixes dourados têm memórias tão impressionantes que costumam ser usados ​​como um modelo comum para estudar a memória”, destaca Brown. Como resultado, “há milhares de estudos [sobre peixes dourados] que mostram que os peixes têm memórias excelentes e a taxa de publicação desses estudos está crescendo exponencialmente”, complementa.

A maioria desses estudos envolve alimentos. Por exemplo, já foi constatado que se os peixes dourados forem alimentados em apenas um lado do aquário, eles aprenderão rapidamente e se lembrarão de permanecer desse lado do tanque na hora da alimentação, independentemente de serem realmente alimentados. “Da mesma forma, se empurrar uma isca vermelha ganha uma recompensa de comida, mas uma azul não. O peixe dourado rapidamente aprende a empurrar a isca vermelha e não a azul, e continuará a mostrar uma preferência por aquela cor muito depois que o experimento terminar”, comenta Brown.

Os peixes dourados também são bons solucionadores de problemas e foram ensinados a escapar de redes e navegar em labirintos, segundo o cientista. “Eles podem até se lembrar de como repetir essas tarefas semanas e até meses, depois.”

Outras evidências sugerem que os peixes dourados podem reconhecer e lembrar de outros indivíduos, mesmo após longos períodos de separação.

Segundo Brown, a maioria das pessoas não lida com peixes em suas vidas diárias e, mesmo quando o fazem, não interagem com os peixes da mesma forma que fazem [com] outros animais. “Isso torna mais fácil que equívocos e mitos sejam amplamente aceitos”, diz.

Os peixes dourados devidamente bem cuidados podem viver 20 anos. Então, os tutores devem ter o cuidado de criá-los em aquários grandes ou em tanques grandes o suficiente para fornecer enriquecimento ambiental – decoração para brincar, plantas para nadar e comer. Assim como interagir com eles e ensinar truques. Afinal, seu peixinho dourado pode se lembrar de certas experiências nos anos que virão.

Fonte: Live Science