Anuncie

(21) 98462-3212

Descubra por que os mosquitos ficam zumbindo em nossos ouvidos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
O zumbido que você ouve provavelmente é de um mosquito fêmea, pois são elas que sugam o nosso sangue. Foto: Pixabay

Você quer tirar um cochilo, aí vem um moquito e dá-lhe zumbidos sem parar em seu ouvido. Bzzzzzzzz. Bzzzzzzzz. Bzzzzzzzz. Não é irritante?

Mas, por que esses insetos sugadores de sangue rondam nossos ouvidos em primeiro lugar? E por que eles produzem esse zumbido de dar nos nervos? Michael Riehle, professor de entomologia da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, dá a explicação:

“O zumbido no ouvido é principalmente um efeito colateral do bater das asas do mosquito. [O som] não tem um longo alcance, então você percebe isso mais quando eles estão voando ao redor de seus ouvidos”, comenta.

O zumbido que você ouve provavelmente é de um mosquito fêmea. Isso porque os mosquitos machos e fêmeas têm vidas muito diferentes. Os machos costumam sair e bebericar o néctar das flores e a seiva de plantas; eles não poderiam se importar menos com os humanos se movendo pesadamente. As fêmeas, entretanto, precisam encontrar uma refeição de sangue após o acasalamento para ter energia suficiente para produzir ovos. Na verdade, os mosquitos fêmeas são equipados com ferramentas exclusivas para localizar sua próxima vítima.

“À distância, [os mosquitos fêmeas] são atraídos por elementos químicos, como o dióxido de carbono emitido quando respiramos e o ácido láctico, um elemento químico presente no nosso suor. O dióxido de carbono estimula a fêmea do mosquito a buscar o hospedeiro. Então, quanto mais respiramos ou exalamos gases, mais vulneráveis estamos”, conta Riehle.

Em outras palavras, os mosquitos zumbem em torno de nossas cabeças porque é de onde expulsamos a maior parte do dióxido de carbono.

Outra curiosidade é que a fêmea do mosquito usa sensores em seus pés para determinar se o ser humano, ou qualquer animal com sangue, é adequado para sua próxima refeição. Embora alguns estudos científicos sugiram que o sangue tipo O é o preferido desses insetos, Riehle permanece cético; ele não encontrou nenhuma pesquisa convincente sobre o tipo de sangue e o interesse do mosquito. Em vez disso, ele acredita que outros fatores, como a genética de uma pessoa e até mesmo a dieta, desempenham um papel maior no sabor “delicioso” de uma pessoa.

Os pesquisadores também acreditam que os mosquitos gostam mais de pessoas “quentes”, por isso, alguém suado deve parecer algo bem apetitoso para os insetos.

Notas musicais

Enquanto a fêmea voa em direção a um alvo, ela bate suas asas aproximadamente 500 vezes por segundo a uma frequência de 450 a 500 hertz. Essa frequência é ajustada para a nota musical A, que, coincidentemente, é o que uma orquestra sintoniza antes de um concerto.

Embora isso soe como um zumbido agudo para nós, soa como música para os mosquitos machos. Na verdade, os machos, cujas asas batem com uma frequência mais alta do que as das fêmeas, ouvem os tons suaves das fêmeas quando estão em busca de parceiros.

Cheiro de chulé atrai as fêmeas

Enquanto os mosquitos machos ficam loucos por esse tom, os humanos ficam menos entusiasmados ao ouvi-lo. Mas, embora possamos perceber prontamente os mosquitos zumbindo ao redor de nossos ouvidos, Michael Riehle observou que a maioria dos mosquitos não é atraída por nossas cabeças. Em vez disso, esses sugadores de sangue podem estar mais inclinados a procurar nossos pés, que apresentam bactérias que exalam aromas que atraem mosquitos. “No entanto, a maioria das pessoas provavelmente não percebe um mosquito zumbindo em torno de seus tornozelos”, diz.

Um estudo de 1996 publicado na revista “Trends in Parasitology” descobriu que mosquitos fêmeas do gênero Anopheles (comumente chamado mosquito-prego no Brasil), que são os principais vetores de Plasmodium, protozoário causador da malária, foram atraídos pela bactéria nos pés humanos. Essa bactéria, a Brevibacterium linens, é a mesma que dá ao queijo belga Limburger seu cheiro característico – considerado o mais fedido do mundo. Um estudo de acompanhamento de 2013 na revista “PLOS One” confirmou que os mosquitos são, de fato, atraídos pelo queijo Limburger.

Quanto a evitar os mosquitos, a melhor aposta, de acordo com o professor, é usar roupas de cor clara e compridas, aplicar repelente de insetos e ficar longe de pontos críticos de mosquitos (pântanos, por exemplo) ao anoitecer e ao amanhecer, quando os mosquitos estão mais ativos.

Fonte: Live Science