Search

Anuncie

(21) 98462-3212

Os lobos abanam a cauda como os nossos companheiros caninos?

O abanar da cauda e outros comportamentos de saudação surgem quando os lobos se reúnem. Fotos: Pixabay

Os tutores de cães estão acostumados a voltar para casa e serem recebidos com seus cachorros em êxtase, abanando o rabo. O abanar da cauda é comum em nossos companheiros caninos de estimação. Mas será que só os cães domésticos fazem essa saudação ou os lobos, seus ancestrais selvagens e parentes modernos também agitam a cauda?

A resposta curta é que sim, os lobos abanam o rabo. “Na maioria das vezes, você os vê abanando o rabo com o chamado comportamento de saudação”, diz Sarah Marshall-Pescini, pesquisadora do laboratório de domesticação do Instituto de Etologia Konrad Lorenz da Universidade de Medicina Veterinária de Viena, na Áustria. “Os comportamentos de saudação são efetivamente mostrados principalmente por indivíduos subordinados em relação a indivíduos dominantes. E particularmente durante reuniões após a separação.”

Os lobos nem sempre ficam em suas matilhas e podem se dividir em unidades de caça menores ou até mesmo vagar por conta própria. “O abanar da cauda e outros comportamentos de saudação surgem quando eles se reúnem. Por isso é semelhante ao que os cães fazem com humanos e outros cachorros”, complementou Marshall-Pescini.

Hierarquia na matilha

De acordo com o Serviço Nacional de Parques dos Estados Unidos, as matilhas de lobos normalmente incluem um casal reprodutor que lidera sua prole e adultos não reprodutores. Abanar o rabo durante as saudações é uma das muitas maneiras pelas quais os lobos comunicam seu status na matilha.

Um lobo mantém o rabo baixo e abana rapidamente para mostrar subordinação. Comportamentos dominantes e subordinados como esse são maneiras fáceis de mostrar qual lobo tem acesso prioritário a recursos, como comida. “Em última análise, evita conflitos”, explica Marshall-Pescini. “É uma maneira de definir claramente os papéis um do outro e não ter que discutir sobre as coisas toda vez que elas surgirem.”

O macho e a fêmea reprodutores são os membros de classificação mais alta da matilha. O resto da hierarquia é determinado pela idade, com a prole mais velha acima da prole mais jovem. A pesquisadora destaca que as dinâmicas familiares são semelhantes às das famílias humanas em alguns aspectos. “Eu acho que se você perguntar a qualquer irmão [humano] mais novo, eles dirão: ‘Oh sim, meu irmão mais velho é definitivamente o dominante [na família].’ E são os pais que precisam negociar a divisão dos recursos.”

Na sociedade dos lobos, os adultos e irmãos mais velhos deixam os filhotes para trás para irem caçar

De onde vem o abanar da cauda?

O abanar da cauda dos lobos é normalmente combinado com a lambida dos lábios, na qual um lobo subordinado tenta lamber os lábios de um lobo mais dominante. Esses comportamentos começam quando os lobos são filhotes. Na sociedade dos lobos, os adultos e irmãos mais velhos deixam os filhotes para trás para irem caçar. Os filhotes então cumprimentam os animais mais velhos em seu retorno.

A partir das 3 semanas de idade, os lobinhos param de depender tanto do leite materno e começam a comer carne regurgitada por membros adultos da matilha. Lamber os lábios involuntariamente provoca um comportamento de regurgitação em lobos adultos, então o comportamento de saudação ajuda os filhotes a conseguirem uma refeição. Os filhotes mudam o cardápio de carne regurgitada para carne normal quando têm cerca de 6,5 semanas de idade.

Em vez de correr para os membros mais dominantes da matilha como os lobos, os cães domésticos abanam o rabo para cumprimentar os humanos. E eles frequentemente tentam lamber nossos rostos – a menos que os treinemos.

“Os cães aprenderam que, ok, o rosto lambido talvez não seja apreciado e nós meio que removemos esse hábito. Mas eles definitivamente ainda têm todos os tipos de comportamento de saudação, incluindo o abanar do rabo”, finalizou Marshall-Pescini.

Lobo – Ficha técnica da espécie:

Nome científico: Canis lupus
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Canidae
Género: Canis

Distribuição: Por todo o Hemisfério Norte, à exceção do Norte de África, vivendo em diferentes habitats: as zonas geladas do Alasca, a tundra da Sibéria, as florestas da América do Norte e da Eurásia, e as regiões semi-desérticas da Arábia.
Tamanho: 80 – 85 cm de altura (adulto). Comprimento de 1,30 a 2 m do focinho à ponta da cauda, que representa cerca de 1/4 da medida total do corpo.
Peso: Macho, 30 – 80 kg (adulto) e fêmea, 23 – 55 kg (adulto).
Alimentação: Carnívoro.
Reprodução: O cio ocorre uma vez por ano e dura de 5 a 14 dias. O acasalamento acontece, geralmente, entre os meses de janeiro e abril. Quanto maior a latitude, mais tarde ocorre. O período de gestação varia de 60 a 63 dias e nascem 5 a 6 filhotes, em média. Uma alcateia produz, em média, uma única ninhada.
Expectativa de Vida: Macho: 16 anos (em cativeiro) e fêmea: 14 anos (na natureza).
Curiosidades: O lobo é uma espécie um sobrevivente da Era do Gelo, originário do Pleistoceno Superior, cerca de 300 mil anos atrás.

Está dividido em quatro espécies: lobo-cinzento (Canis lupus), lobo-dourado (Canis anthus), lobo-vermelho (Canis rufus) e lobo-etíope (Canis simensis)

Embora não sejam tão adaptáveis à presença humana, como geralmente ocorre com as demais espécies de canídeos, os lobos se desenvolveram em diversos ambientes: florestas temperadas, desertos, montanhas, tundras, taigas, campos e até em algumas áreas urbanas.


Fonte: MB com informações do Live Science