Anuncie

(21) 98462-3212

Rir é uma das melhores sensações e muitos animais parecem concordar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
E essa risada gostosa da raposinha? Até o mundo animal concorda que é gostoso rir. Foto: Unsplash

Rir é uma das melhores sensações do mundo. É um sinal de felicidade e só faz bem, para a saúde e para a alma! Temos a tendência de associar o riso aos humanos e possivelmente aos primatas. Mas, não somos os únicos mamíferos que gostam de uma boa risada. Existem dezenas de espécies de animais que riem e, inclusive, os cientistas já identificaram 65 criaturas – de macacos a pássaros – que têm sua própria forma de rir.

Especular se os animais podem rir não é novidade. A ideia remonta ao menos em 1872 e é destrinchada no livro “The Expression of Emotions in Man and Animals”, do naturalista britânico Charles Darwin (1809-1882). Ele se concentrou em chimpanzés e outros macacos e então os observou emitindo uma resposta semelhante a uma risada humana ao fazer cócegas ou brincar: “(…) se um jovem chimpanzé sentir cócegas – as axilas são particularmente sensíveis a cócegas, como no caso de nossos filhos – um som mais decidido de riso ou riso é emitido; embora a risada às vezes seja silenciosa.”

Décadas depois, uma pesquisa semelhante na Universidade de Hannover, na Alemanha, concluiu que esses sons são semelhantes ao riso humano. A pesquisa também revelou que os primatas passaram os últimos 10-16 milhões de anos desenvolvendo essa habilidade.

Desde então, mais e mais pesquisas foram realizadas e os cientistas constataram que existem muitos animais no planeta que vocalizam de maneiras que soam como uma risada. No entanto, nem todas essas vocalizações estão ligadas ao humor. A ludicidade é a chave para diferenciar as vocalizações que são semelhantes ao riso humano e aquelas que soam apenas como uma risada. Afinal, se um animal “ri” quando está em perigo ou para assustar um predador, provavelmente ele não está se divertindo.

Em uma mais recente revisão da literatura científica, o professor Greg Bryant, da Universidade da Califórnia (UCLA), em Los Angeles, nos Estados Unidos, e a pesquisadora Sasha Winkler enfocaram o jogo social, o tipo de jogo mais frequentemente descrito em mamíferos.

Os pesquisadores analisaram estudos anteriores sobre uma variedade de espécies para compilar uma lista de animais que vocalizam de uma forma que pode ser considerada de fato uma risada. Eles procuraram informações sobre se as vocalizações dos animais foram gravadas como ruidosas ou tonais, altas ou baixas, agudas ou graves, curtas ou longas, uma única chamada ou um padrão rítmico – buscando características conhecidas de sons de execução.

Quem ri por último ri melhor

A lista que eles documentaram é longa e inclui 65 animais (confira ao fim da matéria) de uma ampla gama de grupos, como várias espécies de gatos e cães, ratos, primatas, mangustos, golfinhos, baleias, elefantes e até vacas.

A equipe também listou alguns pássaros além dos mamíferos que podem rir. Eles incluíam a pega australiana (Gymnorhina tibicen) e o papagaio-da-Nova-Zelândia (Nestor notabilis), também chamado Kea.

O papagaio-da-Nova-Zelândia (Nestor notabilis) está entre as 65 espécies da lista que riem. Foto: Pixabay

Entre algumas dessas espécies, como cães, também existem outros indicadores de jogo social. Os cães fazem uma “reverência” característica antes de brincar com seus pares e também adotam um tipo distinto de respiração ofegante.

“Este trabalho mostra como um fenômeno que se pensava ser particularmente humano acaba por estar intimamente ligado ao comportamento compartilhado com espécies separadas dos humanos por dezenas de milhões de anos”, destacou o professor Bryant, coautor do estudo.

“Quando rimos, frequentemente fornecemos informações de que estamos nos divertindo e também convidamos outras pessoas a participarem”, disse Sasha Winkler, principal autora da pesquisa, em um comunicado. “Alguns estudiosos sugeriram que esse tipo de comportamento vocal é compartilhado por muitos animais que brincam e, como tal, o riso é a nossa versão humana de um sinal de jogo vocal evolutivamente antigo.”

Para os animais, sugerem os pesquisadores, um barulho de risada pode ajudar a sinalizar que a violência, ou outro comportamento que pode parecer ameaçador, é uma boa diversão.

“[Algumas ações] podem ser interpretadas como agressão. A vocalização meio que ajuda a sinalizar durante essa interação que, ‘na verdade, não vou morder seu pescoço. Isso vai ser apenas uma mordida simulada ‘”, explicou Sarah Winkler. “Isso ajuda a interação a não se transformar em agressão real”, complementou.

Segundo Winkler, embora o estudo visasse ser abrangente, pode haver ainda mais animais risonhos por aí. “Poderia haver mais do que pensamos, eles estão por aí. Parte da razão pela qual eles provavelmente não foram documentados é porque provavelmente são muito quietos, ou apenas [aparecem] em espécies que não foram bem estudadas por enquanto. Mas, com sorte, pode haver mais pesquisas no futuro.”

Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Bioacoustics.

Confira a galeria de bichos risonhos que vão te fazer sorrir! Arraste a imagem para o lado:

Lista de 65 animais que riem, segundo a Ciência:

Magpie australiano (Gymnorhina tibicen)
Periquito australiano (Melopsittacus undulatus)
Papagaio-da-Nova-Zelândia (Nestor notabilis)
Canguru cinza oriental (Macropus giganteus)
Elefante africano (Loxodonta)
Vaca doméstica (Bos taurus)
Alce das montanhas rochosas (Cervus canadensis nelsoni)
Golfinho-pintado-do-atlântico (Atlantic spotted dolphin)
Golfinho-nariz-de-garrafa (Tursiops truncatus)
Baleia Orca (Orcinus orca)
Mangusto-anão (Helogale parvula)
Rato-do-Egito ou Sacarrabos (Egyptian mongoose)
Mangusto cinzento indiano (Urva edwardsii)
Gato-de-pallas (Felis manul ou Otocolobus manul)
Gato-maracajá (Leopardus wiedii)
Gato doméstico (Felis catus)
Gato-selvagem-europeu (Felis silvestris)
Urso-negro (Ursus americanus)
Foca-comum (Phoca vitulina)
Leão-marinho-da-Califórnia (Zalophus californianus)
Raposa-vermelha (Vulpes vulpes)
Raposa-orelhas-de-morcego ou Otócion (Otocyon megalotis)
Cão doméstico (Canis lupus familiaris)
Texugo-europeu (Meles meles)
Mink (Mustela vison)
Arminho (Mustela erminea)
Tourão (Mustela putorius)
Degu (Octodon degus)
Rato de laboratório (Rattus norvegicus)
Gerbil ou esquilo-da-Mongólia (Meriones unguiculatus)
Galago do Senegal (Galago senegalensis)
Slow loris (Nycticebus)
Lêmure-de-cauda-anelada (Ring-tailed lemur)
Lêmure-rato-cinza (Microcebus murinus)
Uacari-Preto (Cacajao melanocephalus)
Macaco-aranha-de-Geoffroy (Ateles geoffroyi)
Bugio (Alouatta palliata)
Mico-de-goeldi ou mico-preto (Callimico goeldii)
Mico-manto-marrom (Saguinus fuscicollis)
Mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia)
Sagui-de-tufo-branco (Callithrix jacchus)
Sagui-de-bigode (Saguinus labiatus)
Saguim-cabeça-de-algodão (Saguinus oedipus)
Siamango (Symphalangus syndactylus)
Gibão-de-mãos-brancas (Hylobates lar)
Orangotango-de-sumatra (Pongo abelii)
Orangotango-de-bornéu (Pongo pygmaeus)
Humano (Homo sapiens)
Gorila-das-montanhas (Gorilla beringei beringei)
Gorila-ocidental-das-terras-baixas (Gorilla gorilla gorilla)
Chimpanzé (Pan)
Bonobo (Pan paniscus)
Langur-cinzento-das-planícies-do-norte (Semnopithecus entellus)
Macaco-fidalgo (Colobus polykomos)
Langur-de-phayre ou macaco-folha-de-phayre (Trachypithecus pahyrei)
Lutung-prateado ou macaco-folha-prateado (Trachypithecus cristatus)
Langur-de-françois ou macaco-folha-de-françois (Trachypithecus francoisi)
Macaco pata ou Macaco vermelho (Erythrocebus patas)
Macaco-vervet (Chlorocebus pygerythrus)
Babuíno-anúbis (Papio anubis)
Macaco-mouro (Macaca maura)
Macaco-de-gibraltar ou macaco-berbere (Macaca sylvanus)
Macaco-rhesus (Macaca mulatta)
Macaco-japonês ou macaco-do-japão (Macaca fuscata)