Anuncie

(21) 98462-3212

Bebês de penas: aprenda os cuidados básicos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
, Deve-se retirar os filhotes do ninho (no caso do ninho de caixa) para que ele seja limpo. Fotos: Atelier dos Pássaros

Após um período de muita expectativa dentro do ninho, os bebês de aves vêm ao mundo. Mas, muitos criadores iniciantes ficam na dúvida do que fazer: será melhor colocá-los numa gaiola diferente da dos pais? Que alimentos oferecer? Como proceder com a limpeza do viveiro?

“Geralmente, com qualquer espécie de ave, os pais se encarregam dos cuidados com alimentação e proteção até os filhotes se tornarem independentes. Portanto, o criador precisa estar atento ao comportamento dos pais, como por exemplo, se eles estão rejeitando os bebês, se há ataque de predadores (como camundongos) e se há sinais de doença”, explica o criador Patrick Orlando, do Atelier dos Pássaros.

Outro cuidado fundamental é com a higienização diária da gaiola: deve-se trocar a água e o alimento dos bebedouros e comedouros; os poleiros e o tabuleiro do fundo do viveiro devem ser lavados; uma vez por semana, deve-se retirar os filhotes do ninho (no caso do ninho de caixa) para que ele seja limpo – com a raspagem e com a reposição de maravalha (serragem de madeira específica para forro de gaiolas).

Já a alimentação é um item essencial para a saúde e bom desenvolvimento da cria. “A quantidade de comida deve ser redobrada, porque os pais, além de seu consumo próprio, têm que alimentar a ninhada. Tudo o que eles comem, eles regurgitam para os filhotes. E, além de sementes e grãos, a dieta tem que ser complementada com frutas, verduras e legumes”, ensina Patrick.

Para ter uma ave mansa e que interaja fora da gaiola os cuidados são redobrados e é preciso dedicação

No caso dos psitacídeos, se o objetivo do criador é o de ter uma ave mansa, que interaja fora da gaiola, os cuidados são redobrados e é preciso dedicação. “Os filhotes têm que ser retirados do ninho e do contato dos pais por volta dos 15 a 20 dias de vida, e ser alimentados manualmente com papinhas industrializadas. Este procedimento tem que ser feito de três a quatro vezes ao dia. O alimento pode ser oferecido com seringa, colherzinha ou sonda especial (esta, somente para uso de criadores experientes”, detalha o criador.

QUANTOS FILHOTINHOS VÊM AÍ?

CANÁRIOS. Colocam de 4 a 5 ovos, que são chocados por 13 a 14 dias. Os filhotes tornam-se independentes (ganham pena e começam a comer sozinhos) por volta dos 30 dias.

CALOPSITAS E AGAPÓRNIS. A reprodução ocorre durante todo o ano. Colocam de 4 a a 6 ovos, que são chocados durante 17 a 22 dias. Os filhotes tornam-se independentes aos 60 dias, em média.

PERIQUITOS. Colocam em média de 3 a 4 ovos. Os filhotes nascem após 18 a 20 dias. Eles tornam-se independentes entre 30 a 35 dias de vida.

PÁSSAROS EXÓTICOS. Manons, diamantes de Gould, calafate, bavette e mandarim, por exemplo, colocam em média de 4 a 6 ovos. As crias nascem após 12 a 13 dias, em média. Já a independência dos filhotes ocorre por volta dos 30 a 35 dias.

Confira a galeria de fotos de bebês alados abaixo. Clique na imagem para ampliá-la:

Agradecimento: Atelier dos Pássaros – Tudo o que você precisa para a diversão do seu pássaro!

Site: www.atelierdospassaros.com.br

Instagram: @atelierdospassaros

***

QUE TAL FAZER UM CURSO ONLINE HOJE?

Se você é apaixonado por aves, aprenda a maneira correta de manejo. Aquira já o “Guia Definitivo de Criação de Calopsitas” e consiga criar sua Calopsita de maneira surpreendente, tornando-se um especialista na criação e reprodução dessa ave. CLIQUE AQUI

Aquire já o “Curso de voo livre da AVOA”. Curso online de voo livre com psitacídeos. O objetivo é obter conhecimento sobre treinamento de comportamento de forma profunda, focando no passo a passo do treinamento para voo livre com psitaciformes. CLIQUE AQUI