Anuncie

(21) 98462-3212

Bicho novo no lar? Veja como lidar com os ciúmes dos pets mais antigos

Quando se introduz um novo animal na casa, há disputa pelo território. Foto: Pexels

Cães e gatos costumam reagir mal à chegada de um novo animal de estimação no lar. É normal o bicho mais antigo ficar triste ou adotar um comportamento estranho, em vez de aproveitar o companheiro para brincar. Tutora de três cachorros – dois vira-latas e um yorkshire -, a professora aposentada Maria das Graças Vieira lembra da ciumeira de seus cães quando o pequeno york Simba chegou em casa, há seis meses. “Eles os rejeitaram. Os primeiros dias não foram fáceis, era uma ciumeira só, rosnados e ameaças de ataque. Fui orientada pela veterinária a me comportar como chefe da matilha e a colocar ordem na casa. E também a não privilegiar o cãozinho mais novo. Tudo o que faço para um, faço para todos, até mesmo a sessão de carinhos. Deu certo”, conta.

O veterinário Guilherme Marques explica que o ciúme do animal é diferente da possessividade humana: “Eles não sentem insegurança em relação ao outro, mas em relação à sua posição hierárquica. O cachorro, por exemplo, é um animal que vive em matilha. Quando se introduz um outro animal, há disputa pelo território. O cão começa a roer as coisas dentro de casa e faz as necessidades fora do lugar.”

Para evitar brigas, o especialista recomenda que o tutor reforce a dominância do mais antigo. “O animal vai se sentir melhor se o tutor o priorizar, levando para passear primeiro, colocando comida primeiro”, diz.

Olha a treta! A adaptação requer um pouco mais de paciência no caso dos gatos.
Foto: Pixabay

No caso dos gatos, a adaptação requer um pouco mais de paciência. “A Anita tem 5 anos e se sente a dona da casa, então, quando adotei a Nina, há um ano, ela ficou muito irritada e agressiva, até mesmo comigo. A Nina, coitada, tinha uns quatro meses e levou muitas patadas na cabeça por semanas. Agora elas convivem bem, mas, de vez em quando, a Anita ainda dá umas patadas raivosas na bichinha, quando ela vem para deitar junto dela, brincar. Depois ela aceita e elas dormem juntas, se lambem, correm atrás da outra. Mas a ciumeira bate de vez em quando”, conta a estudante Roberta Dutra.

Para minimizar os problemas, o veterinário aconselha: “Antes de fazê-los interagir, é bom que um se acostume com o cheiro do outro. Isso pode ser feito utilizando caixas de transporte ou cercados na hora de alimentar os gatos. A ideia é aproximá-los aos poucos.”

Aos poucos, a convivência do pet mais antigo com o novo torna-se harmoniosa.
Foto: Pixabay

Dicas para uma boa convivência

Aos poucos. O segundo animal deve ser introduzido aos poucos, mas não deve ficar seprado do outro por muito tempo, pois assim a união será cada vez mais difícil.

Desprezo. O tutor deve demonstrar um certo desprezo pelo novo pet quando estiver na frente do outro. Isso é para que o mais antigo perceba que o novo companheiro não roubará a atenção do seu tutor.

Esteja junto. No começo, o tutor deve ficar sempre presente, evitando deixá-los sozinhos.

Pano. Coloque um pedaço de pano com o cheiro do novo pet junto à caminha ou sob a vasilha de alimento do maia antigo, para que um se acostume ao odor do outro.

Hora da comida. Alimente primeiro o pet antigo, deixando que ele fique satisfeito. O ideal, nos primeiros dias, é dar a comida separadamente, em locais diferentes, para que eles não briguem pelo alimento. De vez em quando deve-se “esnobar” o novo mascote na frente do outro, mostrando que ele ainda é o preferido.

Briga. Se um brigar com o outro, deve-se separar a briga e brigar com o mais novo, mesmo que não tenha sido ele quem começou. Se as brigas começarem a se tornar violentas e frequentes, deve-se mantê-los separados. E uma vez separados, é muito difícil conviverem juntos algum dia.

Primeiros dias. Logo nos primeiros dias já é possível se avaliar como os novos companheiros e companheiras ficarão juntos. Mas o ideal é não deixá-los sozinhos, pelo menos durante umas duas semanas.

*

*

*

***

QUE TAL FAZER UM CURSO ONLINE HOJE E COMEÇAR SEU PRÓPRIO NEGÓCIO NO NICHO PET?

Adquira já o curso online Cat Sitter – Cuidando de Gatos. CLIQUE AQUI

Curso “Be-Á-Bá do Banho e Tosa”, um treinamento completo para você iniciar seu negócio em casa e lucrar. O curso tem diversos módulos, entre eles, equipamentos, banho, secagem, tosa higiênica e etc. CLIQUE AQUI

Aquira já o “Curso de Auxiliar de Veterinário e Pet Shop”. Aprenda a aplicar remédios, vacinas, preparar os materiais a serem utilizados nas intervenções clínicas; como conter os animais a serem atendidos e/ou hospitalizados, entre outras funções. Em petshops, aprenda a atuar no atendimento aos clientes e recepção dos animais. CLIQUE AQUI

Aprenda os cuidados básicos com os animais de estimação. E-book Pet Sitter – Babá de Animais. CLIQUE AQUI

Confira mais opções de cursos online e E-books em nossa loja