Anuncie

(21) 98462-3212

E-mail

[email protected]m.br

Como prevenir tumores e cistos nos pets

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
O hemograma completo é um dos exames preventivos rotineiros. Foto: Canvas

Os tumores são grandes vilões na saúde dos nossos amigos pets, podendo surgir em qualquer idade, sexo, tamanho e raça. Tumor é uma coleção de células desorganizadas, capazes de ter diversos comportamentos com o organismo, podendo ser de vários tipos, de caráter benigno ou maligno.

“Vários fatores podem facilitar o aparecimento de células tumorais, sendo que, na maioria das vezes, possui um cunho genético, ou seja, uma predisposição”, destaca o veterinário André Mello, colunista da seção “Fale com o Vet“, do portal Meus Bichos.

De acordo com o especialista, as visitas regulares ao veterinário para avaliação do animal e as medidas de prevenção são fundamentais para ajudar os tutores a identificar antecipadamente a doença. Considerar a realização da castração é outra medida que ajuda a evitar alguns tipos de tumores.

“É fundamental que o tutor, ao perceber qualquer volume, caroços ou elevações em alguma parte do corpo, procure ajuda veterinária, ou mais especificamente, de um oncologista veterinário para estabelecer um melhor tratamento”, orienta André Mello.

O momento do banho, do carinho ou da escovação são ideais para o tutor detectar sinais de alerta, como massas (bolinhas), alterações de cor ou feridas na pele com aspecto verrucoso e de dimensões diferentes.

O comportamento do animal também deve ser bem observado. Dificuldade ou dor ao apoiar e inflamação na área afetada, por exemplo, são indicativos que podem estar associados ao câncer ósseo.

Tumores mais frequentes

Cães e gatos podem desenvolver sérias doenças no aparelho reprodutor e os exames preventivos periódicos são a melhor maneira de prever estas manifestações. Nas cadelas e gatas, as doenças do aparelho reprodutor mais comuns são os cistos ovarianos, tumores nos ovários, útero e mamas e, muito frequentemente, a endometriose, que consiste no aumento da parede interna do útero.

Cadelas e gatas não castradas são mais propensas à endometriose. Foto: Pixabay

Nos cães e gatos machos, as doenças mais comuns são a hiperplasia prostática benigna, tumor de próstata e tumores nos testículos.

Na maioria dos casos, o tratamento de doenças do aparelho reprodutor é cirúrgico, sendo que nas fêmeas são feitas a pan-histerectomia (retirada cirúrgica dos ovários e útero) e a mastectomia parcial ou total (retirada das glândulas mamárias).

Nos machos são feitas a orquiectomia (retirada dos testículos) e a prostatectomia (retirada da próstata). Quanto mais cedo detectar as doenças, maiores são as chances de cura.

Já os tumores de cabeça, pescoço, pele e testículos são muito raros em felinos, mas têm alta prevalência em cães. Enquanto o câncer ósseo ocorre com mais frequência em cachorros de raças grandes e acima de sete anos.

“Consulte sempre um médico veterinário, pois somente esse profissional será capaz de mostrar o melhor caminho”, reforça André Mello.

FIQUE LIGADO

FÊMEAS. Cadelas e gatas não castradas ou que nunca cruzaram são mais propensas à endometriose – aumento da parede interna do útero. A esterilização das fêmeas antes dos 12 meses de idade reduz consideravelmente o risco de desenvolver um tumor da glândula mamária.

MACHOS. Cães e gatos de idade avançada são mais vulneráveis à hiperplasia prostática – aumento da próstata. É relevante castrar os machos para evitar neoplasias de próstata e testículos.

CONTROLE DA ALIMENTAÇÃO. Manter os animais de estimação longe dos fatores de risco contribui para a prevenção de tumores. Um dos principais cuidados é controlar a dieta para evitar a obesidade e, assim, prevenir a presença de lipomas (tumores gordurosos localizados logo abaixo da pele).

ANIMAIS DE PELE CLARA OU COM AUSÊNCIA DE PELOS. Não exponha os animais de pele clara ou com ausência de pelos (gatos da raça Sphinx, por exemplo) à luz solar extrema para reduzir o risco de aparecimento de carcinomas e melanomas. Os pets também devem ser mantidos longe da exposição à fumaça de cigarro (não fume perto do seu pet!) e de substâncias tóxicas, como agrotóxicos.

SINAIS DE ALERTA GERAL. Há vários tipos de câncer e os sinais são diferentes e podem ser pouco específicos. Por isso, os tutores devem estar cientes não apenas do que podem ver ou sentir com o toque, mas que também há sinais de alerta gerais, que merecem ser investigados. São eles: perda de peso, falta de apetite, fadiga e cansaço injustificado, persistência de ferida que não cicatriza, dor, queda de pelos, caroços estranhos na pele, inflamação, sangramento, a cor muda em qualquer parte do corpo, entre outros.

EXAMES. Existem diversos tipos de exames preventivos. Os mais rotineiros são o hemograma completo, as dosagens dos hormônios sexuais, a ultrassonografia abdominal e as biópsias, que são a retirada de pequenos fragmentos da lesão para análise no microscópio.

Agradecimento: Clínica Veterinária Estética Canina Vet Center

*