Anuncie

(21) 98462-3212

Sansão: tutor relata superação do cão que inspirou a lei contra maus-tratos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Sansão motivou a aprovação de lei que aumenta pena para maus-tratos a animais. Foto: Divulgação/Victor Ataide

Guerreiro. Não há melhor definição para o cachorro Sansão, de 3 anos, que, há um ano, foi terrivelmente vítima da crueldade humana contra um animal. No fim da tarde do dia 6 de julho de 2020, o pacato cão da raça pit bull teve suas duas patas traseiras decepadas com uma foice, após escapar de casa e entrar em um terreno vizinho. Segundo os relatos da família responsável por Sansão, os agressores teriam amordaçado o cão com arame farpado para cometer o ato violento, ocorrido em Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Um dos suspeitos fugiu e o outro foi ouvido na delegacia. O homem, que trabalha como servente geral, foi autuado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) por maus-tratos e tortura, não só a Sansão como também a outros 12 animais que ele mantinha em casa, em estado de abandono.

Após a agressão ganhar enorme repercussão nacional, o Ministério Público passou a acompanhar o caso. A comoção da sociedade foi tamanha, que Sansão motivou a aprovação da lei 14.064/20, que leva seu nome e aumenta a pena para o agressor que maltratar ou praticar abusos contra cães e gatos. A nova penalidade descrita na lei Sansão, sancionada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, em 29 de setembro de 2020, é de reclusão, de dois a cinco anos, multa e proibição da guarda.

Após muita luta, fisioterapia, uso de cadeira de rodas e esforços de equipes de veterinários voluntários, entre outros profissionais, entidades e ONGs, o pit bull Sansão já está voltando a andar. Isso graças a uma prótese desenvolvida em Denver, nos Estados Unidos, e doada pela associação de proteção animal Patas Para Você. Em breve, ele receberá outra prótese substituta, como apoio para ajudar na mobilidade. Mas ele não poderá fazer uso de próteses nas duas pernas, “Em uma pata ele tem o ‘joelho’ e na outra não”, explicaram os veterinários em um post no perfil do Instagram @todospor.sansao.

A seguir, o tutor de Sansão, o estudante Nathan Braga, de 22 anos, morador de Vespasiano, conta como está sendo a evolução do seu cão, que se tornou um símbolo nacional na luta pela causa animal.

Arraste a imagem para lado, para ver todas as fotos:

MB Entrevista: Nathan Braga, tutor do cão Sansão:

Como recebeu a notícia sobre a agressão ao seu cachorro?

Fiquei sabendo do que aconteceu com o Sansão por telefone. Eu não estava no local na hora e fiquei muito abismado com tudo o que ele passou. Procurei ir salvá-lo o mais rápido possível, porque ele estava em um estado de choque muito grande e minha primeira reação foi essa.

Nathan Braga e Sansão rumo à Brasília. Foto: Divulgação/Victor Ataide

O agressor foi punido?

Ele foi indiciado e estão ocorrendo as audiências. Já teve a primeira e ainda estamos aguardando a resposta da Justiça sobre isso.

A repercussão foi tanta do caso, que Sansão motivou a aprovação da lei que leva seu nome e aumenta a pena contra os maus-tratos a animais. Como foi ver essa lei se tornar realidade e o que essa conquista representa para você?

A proposta da lei Sansão foi de autoria do deputado Fred Costa (Patriota-MG). Conseguimos a aprovação, juntamente com a ONG Patas Para Você, que também nos ajudou muito para que isso acontecesse. Ficamos muito felizes com a aprovação, pois essa lei está ajudando muitos animais pelo Brasil e recebeu este nome em homenagem ao Sansão. A lei representa um marco na história do nosso país. Acho algo muito fantástico.

Nathan e seu pet no maior chamego.
Foto: Divulgação

Como está sendo a evolução do Sansão?

A associação Patas Para Você nos ajuda muito, com todo o tratamento vitalício do Sansão. Vão cuidar dele por toda a vida. Fora os veterinários, os familiares e os amigos que nos ajudaram e nos deixaram muito felizes com esse gesto. Mas, lembrando que temos que lutar por Justiça nesse caso. Ainda não acabou. O Sansão é um motivo de muito orgulho para mim, ser seu tutor é muito gratificante, pois ele é um exemplo, um marco na nossa história. Ele faz parte de nossa família.

Eu ganhei o Sansão com 40 dias. Ele sempre foi um cachorro muito tranquilo e alegre. Desde filhotinho, nunca nos deu trabalho em nada. E até hoje, com tudo o que aconteceu, toda aquela violência, ele ainda continua sendo muito feliz. Ele é um cachorro muito diferente, eu não consigo explicar. Eu o vejo com muita leveza. Sansão não carrega nele a crueldade que sofreu e é um cachorro muito sereno, graças a Deus.

*Acompanhem a rotina e evolução de Sansão na página Todos Por Sansão, no Instagram:
@todospor.sansao