Anuncie

(21) 98462-3212

Sem bafo: elimine o mau hálito do seu cão

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Assim como nos humanos, os cães também precisam de cuidados com os dentes.
Foto: Pixabay

Pois é, os cães também podem ter bafo. Esse desagradável odor pode acometer os animais que não estão com a higiene ou a saúde bucal em dia. Assim como nos humanos, os cães também precisam de cuidados com os dentes. O que inclui, a escovação. A tarefa não é a das mais fáceis se o pet não for acostumado desde filhote a essa rotina, mas também há maneiras alternativas de prevenir os problemas bucais.

“Se a higiene bucal do animal for deixada de lado, o acúmulo de sujeira proveniente dos restos de alimentos se concentrará, proliferando as bactérias. Dessa forma, o cão pode desenvolver placas bacterianas, tártaro, gengivite, sangramentos. Problemas esses que, se não forem tratados, podem evoluir para inflamações, infecções generalizadas, amolecimento e perda dos dentes, além de muito incômodo e dor para o bichinho na hora de mastigar o alimento”, destaca o veterinário Ernani de Castilho.

O mau hálito também pode ser causado por algum problema gástrico ou endócrino no cão.

A má alimentação é outro fator que pode contribuir para os problemas bucais. Por isso é importante que os cães só comam ração e petiscos específicos para a espécie.

Hábito da escovação

Para evitar o mau hálito, portanto, o primeiro passo é acostumar o cão, desde filhote, ao hábito da escovação dos dentes, que deve ser diária ou pelo menos três vezes na semana. E de preferência à noite, após todas as refeições. “Faça tudo como se fosse uma grande brincadeira, para que ele associe esse momento como algo agradável. E faça tudo com tranquilidade, sem pressa”, orienta o veterinário.

Para a escovação dos dentes, utilize pasta e escova de cerdas macias específica para cães, ou uma dedeira, ambas encontradas nas pet shops. Jamais use pasta de dentes de humanos, pois contém flúor e o animal vai engolir, podendo causar irritação no estômago e até intoxicação.

‘Lambeijo’ sem bafo é bem mais gostoso, não é mesmo? Foto: Pixabay

Espalhe a pasta nos dentes do pet com o dedo. Umedeça a escova e passe em movimentos circulares, começando pelos dentes de trás. Não esqueça de escovar a língua também. E durante todo o processo brinque com seu cão, faça carinho nele.

Ao contrário dos humanos, o cachorro ingere a pasta, que é feita para este fim. Ao final de tudo, recompense seu cão com mais carinho.

“Se você não costuma escovar os dentes do seu cão e ele já apresenta acúmulo de tártaro, que são manchas e placas escuras entre os dentes, é necessário levá-lo ao veterinário para que seja feita uma limpeza, com aparelho de ultrassom dentário para raspar e polir os dentes. É um procedimento simples, mas o cão precisa ser anestesiado”, explica Ernani.

É aconselhável que a visita ao veterinário para uma avaliação bucal e, caso necessário, ser realizada uma limpeza, seja feita a cada seis meses ou uma vez ao ano.

Além da escovação, para ajudar na saúde dos dentes ofereça petiscos e brinquedos especiais, com receitas e formatos que auxiliam a evitar o acúmulo de tártaro. Há bolinhas, ossinhos e brinquedos com cerdas, entre outras variações, para o cãozinho morder, mastigar e limpar mecanicamente os dentes. Como um petisco natural, você ainda pode dar cenoura crua para o cão roer. Além de ser um alimento nutritivo, ajuda a eliminar restos de alimento da cavidade bucal e melhora o hálito do animal.

Para ajudar a refrescar o hálito do pet, também podem ser utilizados produtos como sprays e soluções bucais específicas para cães, à venda nas pet shops. Agora que você aprendeu a escovar os dentes e a prevenir os problemas bucais no seu pet, foque sempre nesse cuidado e fiscalize a boca do seu mascote constantemente. Ao primeiro sinal de alerta, procure o veterinário. E mantenha seu cão sempre saudável, feliz, com um sorriso de derreter corações e sem bafo!