Anuncie

(21) 98462-3212

Centenas de peixes-boi na Flórida estão morrendo de fome devido ao colapso do ecossistema

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
A população de peixes-boi na Flórida está sendo dizimada pelo colapso do ecossistema. Foto: Pixabay

A população de peixes-boi na costa da Flórida, nos Estados Unidos, está morrendo em uma “taxa sem precedentes” e as autoridades dizem que isso pode ser resultado do colapso do ecossistema.

Dados preliminares do estado americano, entre 1º de janeiro de 2021 e 13 de agosto de 2021, mostram pelo menos 912 mortes de uma média de 578 mortes de peixes-boi todos os anos entre 2015 e 2020. A Comissão de Conservação de Peixes e Vida Selvagem da Flórida disse que a taxa de mortalidade de peixes-boi foi devido à fome, especificamente na Indian River Lagoon da Flórida, onde a falta de ervas marinhas levou à desnutrição entre os peixes-boi. Relatórios oficiais confirmam que cerca de 40% deles estavam ‘gravemente emaciados’ e abaixo do peso corporal esperado.

Acredita-se que os peixes-boi tenham morrido de um desastre quase inteiramente causado pelo homem; da poluição da água que durou uma década pela agricultura e pelo desenvolvimento imobiliário que “levou seu ecossistema à beira do precipício”.

2021: o ano mais mortal para os peixes-boi da Flórida

De acordo com Mike Walsh, codiretor de saúde de animais aquáticos do College of Veterinary Medicine da University of Florida, a Indian River Lagoon, onde os peixes-boi prosperam, “foi dizimada pelo sobrepastoreio e pela proliferação de algas que bloqueiam a luz solar”.

Em vez disso, milhares de peixes-boi que buscam abrigo nas águas mornas se encontraram em descargas mornas de usinas costeiras.

“Quando instalamos usinas de energia, complicamos a situação porque fornecemos fontes de água quente que não estão necessariamente nos melhores lugares (para peixes-boi)”, disse Walsh.

Os protecionistas do peixe-boi dizem que os animais sofreram por meses de uma forma muito desumana, já que muitos perderam quase metade do peso.

“Eles estão definhando, tentando se manter vivos porque não há comida. Não sei se lhes dói porque não sou um peixe-boi, mas posso dizer que se você não come há uma ou duas semanas, há dor”, disse Jon Peterson, especialista em vida selvagem no SeaWorld Orlando.

Parte da população da espécie pode ter sobrevivido, mas sua saúde piora a cada dia e provavelmente afetará sua reprodução também.

Fonte: Natural World News