Anuncie

(21) 98462-3212

Cientistas descobrem novas espécies de baleias no Golfo do México

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Até recentemente, as baleias de Arroz em perigo crítico eram classificadas como uma subespécie da baleia de Bryde. Foto: Divulgação/NOAA

Os cientistas determinaram que um grupo de baleias criticamente ameaçadas de extinção no Golfo do México é na verdade uma nova espécie.

O pequeno grupo de baleias foi classificado anteriormente como uma subespécie da baleia de Bryde, mas um artigo publicado na “Marine Mammal Science” no mês passado analisou seu DNA e formato de esqueleto para revelar uma história diferente. A descoberta destaca a importância da conservação dessa população, já que permanecem cerca de 33.

“Um artigo muito emocionante!”, disse Lori Schwacke, cientista-chefe de medicina de conservação da National Marine Mammal Foundation, à Associated Press. “É uma população tão pequena no Golfo do México que cientistas e administradores marinhos já estavam focados em esforços de conservação, especialmente após o derramamento de óleo em Deepwater Horizon (plataforma petrolífera). Mas, agora, confirmando que essas baleias são na verdade, uma espécie até então desconhecida. “

Os cientistas determinaram pela primeira vez que as baleias viviam no Golfo do México o ano todo na década de 1990. Na época, os cientistas as identificaram como uma espécie de baleia de Bryde, mas havia sinais que indicavam o contrário. Por um lado, as baleias de Bryde tendem a vagar pelos oceanos do mundo, enquanto as baleias do Golfo ficam perto de casa. Em segundo lugar, as baleias do Golfo pegaram peixes mergulhando fundo, em vez de comer peixes mais perto da superfície.

Em 2008, cientistas da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) examinaram amostras genéticas e descobriram que as baleias do Golfo eram únicas. O argumento decisivo veio em 2019, quando uma das baleias apareceu morta na Flórida, nos EUA. Isso permitiu aos cientistas comparar seu crânio com o de outras baleias e confirmar as espécies separadas.

“Fiquei feliz, mas também triste porque perdemos uma baleia de uma população tão pequena”, contou Patricia Rosel, líder do estudo e cientista da NOAA. “Mas nos permitiu confirmar que é uma espécie diferente. É um grande passo científico e pode ajudar na sua conservação.”

Baleia de Arroz

A nova espécie é chamada de baleia de Arroz pelo biólogo Dale Rice (em tradução, o sobrenome do pesquisador significa ‘arroz’), o primeiro a identificar uma população de baleias que vivem no Golfo do México. Elas podem crescer até 13 metros de comprimento e ter cinco vezes o peso de um elefante, de acordo com a NOAA. Como a baleia de Bryde, elas também são uma espécie de baleia de barbatana. Isso significa que, em vez de dentes, possuem placas de barbatanas que filtram animais como o krill e pequenos peixes da água do mar.

As baleias de Arroz estão criticamente ameaçadas, mas mantêm as proteções que tinham como subespécie sob a Lei de Espécies Ameaçadas e a Lei de Proteção de Mamíferos Marinhos, disse a NOAA. Se o novo nome das baleias for aceito pelo Comitê de Taxonomia da Society for Marine Mammalogy, a NOAA atualizará a lista.

Principais ameaças

As principais ameaças às baleias são batidas de navios, ruído subaquático, exploração de combustível fóssil , derramamentos de óleo e emaranhados de equipamentos de pesca. Não ajuda o fato de as baleias se reunirem em DeSoto Canyon, uma das áreas de navegação e perfuração mais movimentadas do Golfo. O derramamento de óleo da plataforma Deepwater Horizon em 2010 matou cerca de 17% das espécies e provavelmente causou problemas de saúde e reprodução duradouros. Recentemente, regras relaxadas em torno de explosões sísmicas para exploração de petróleo e gás colocam ainda mais as baleias em perigo.

Michael Jasny, especialista em proteção de mamíferos marinhos do Conselho de Defesa de Recursos Naturais, destacou que esperava que essa descoberta melhorasse seus esforços de conservação. Ele recomendou medidas como diminuir o tráfego de navios, reduzir as perfurações e interromper as explosões sísmicas.

“Esta baleia é parte do que torna o Golfodo México único”, disse Jasny. “Esperançosamente, o nome dessa nova espécie ajudará as pessoas a reconhecer que existe uma criatura magnífica no Golfo do México e que vale a pena salvá-la.”

Fonte: Marine Mammals Science