Anuncie

(21) 98462-3212

Com mais de 40 animais, tutora de Araraquara (SP) pede ajuda

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
No momento são 23 cães e 17 gatos na casa da trabalhadora doméstica. Foto: Divulgação

Uma diarista que resgata cães e gatos de rua em Araraquara (SP) precisa de ajuda para manter os cuidados com os bichos. 

De acordo com o site de notícias “ACidadeON”, Jandira Pereira, de 56 anos, é moradora do Jardim Cruzeiro do Sul e recolhe cães e gatos em situação de rua na cidade.

No momento são 23 cães e 17 gatos na casa da trabalhadora. Mas, apesar do amor pelos animais, a situação financeira não vai muito bem.

Devido a pandemia, as faxinas que ela faz diminuíram bastante, e mesmo assim ela faz de tudo para não deixar faltar alimento para os bichinhos.

“Eu sou diarista então quando falta serviço fica bem apertado. E diminuiu muito agora na pandemia, mas fome eles não passam, estou correndo atrás, dou o que tiver pra eles, mas tá complicado”, conta.

Apesar das dificuldades, Jandira não pensa em doar os animais. Dois dos cães recolhidos por ela estão doentes: um com a doença do carrapato e outro com um tumor que necessita de cirurgia para ser removido.

Com o orçamento apertado, o jeito é pagar as consultas no veterinário com o cartão de crédito.

“Tá muito difícil, eu quero cuidar não quero doar, eles já se acostumaram aqui em casa, só que um que achei está com doença do carrapato e outra tá com tumor , e vou pendurando no cartão”, diz.

A diarista conta que já chegou procurar a Prefeitura em busca de ajuda, principalmente na parte da alimentação dos animais, mas não teve retorno.

O que diz a Coordenadoria do Bem-estar Animal

A reportagem do “ACidadeON” entrou em contato com a coordenadora de bem-estar animal da prefeitura, Carol Galvão, que explicou que quando uma pessoa resgata um bicho de rua e o leva para casa, a responsabilidade deixa de ser do município e passa ser do cidadão.

“O poder público não tem um programa de assistência a essas pessoas, como já existe um programa destinado a fazer o acolhimento e tratamento dos animais que estão machucados, foram atropelado, agônicos, fêmeas prenhas, no cio, idoso e debilitado, se presume que a pessoas que pega um animal fora dessas condições é um animal sadio, então a partir do momento que a pessoa acolhe, a responsabilidade integralmente é dela”, aponta.

Ainda segundo a coordenadora de bem-estar animal, existe no município uma rede de solidariedade com a finalidade de arrecadar e repassar ração aos tutores que não tem condições de alimentar os animais domésticos. Porém nem sempre é possível atender toda a demanda.

“Mediante o cadastro na rede de solidariedade, a medida que temos recebido doações de raçoes vamos fazendo o repasse, obviamente tem várias pessoas que precisam e não tem como garantir todo mês uma quantidade ,isso é impossível, mas na medida que aparece damos esse auxílio”, diz.

Galvão aconselha nos casos de recolhimento de animais que a população entre em contato imediatamente com a ouvidoria animal do município.

O canal de atendimento funciona 24 horas por dia, através do número: 3301-3130.

Já no caso da dona Jandira, quem puder ajudar com a doações de ração para cães e gatos é só ligar (16) 98196-9957.

Fonte: ACidadeON