Anuncie

(21) 98462-3212

Mudança climática está afetando as baleias jubarte

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Taxa de parto das baleias diminuiu nos mares do Canadá, dizem cientistas. Foto: Pixabay

O sucesso reprodutivo das baleias jubarte no Golfo de St Lawrence, no leste do Canadá, caiu significativamente, de acordo com um novo estudo conduzido pela Universidade de St Andrews, na Escócia.

Grandes mudanças generalizadas têm sido documentadas nos oceanos do mundo nas últimas décadas como resultado das mudanças climáticas. Como essas mudanças em grande escala afetarão as populações dos principais predadores marinhos, incluindo as baleias, por exemplo, é amplamente desconhecido.

Os pesquisadores Dra. Joanna Kershaw, o professor Patrick Miller e a professora Ailsa Hall da Unidade de Pesquisa de Mamíferos Marinhos (SMRU) da Universidade de St Andrews colaboraram com colegas no Estudo de Cetáceos da Ilha Mingan (MICS) e no Departamento de Pesca e Oceanos do Canadá, para investigar se as mudanças ambientais medidas no Golfo de St Lawrence, um importante local de alimentação de verão para as baleias jubarte, podem estar afetando sua reprodução.

Usando uma combinação de amostras de biópsia de gordura para identificar fêmeas grávidas e registros de avistamentos de fêmeas individuais coletados pelo MICS, a equipe de pesquisa investigou a variação no sucesso reprodutivo entre 2004 e 2018.

A pesquisa, publicada na “Global Change Biology”, descobriu que as taxas de parto diminuíram significativamente durante o período de estudo. Além disso, a probabilidade de avistar fêmeas com filhotes foi correlacionada com condições ambientais favoráveis ​​no ano anterior, especificamente com a abundância de arenque, uma de suas principais espécies de presas.

Anteriormente, pensava-se que as baleias de barbatanas poderiam mostrar alguma resistência às mudanças climáticas por causa de sua capacidade de alterar seus padrões migratórios ou trocar de presas. Esta pesquisa mostra que sua capacidade de responder dessas maneiras pode não ser suficiente para evitar que seu sucesso reprodutivo seja impactado por mudanças no ecossistema.

“Os esforços de monitoramento de longo prazo e colaborações interdisciplinares como essas são vitais para avaliar como os mamíferos marinhos e outras espécies marinhas podem ser afetados pelas mudanças climáticas agora e no futuro”, explicou a autora principal do estudo, Dra. Joanna Kershaw, da SMRU da Universidade de St Andrews.

A Dra. Carol Sparling, diretora da Unidade de Pesquisa de Mamíferos Marinhos da Universidade de St Andrews, disse: “Este é um estudo importante que fornece evidências de que o sucesso da reprodução está relacionado à disponibilidade de presas e que espécies de baleias grandes, como as jubarte, podem ser mais vulneráveis às mudanças climáticas do que se pensava anteriormente. “

Fonte: Universidade de St. Andrews