Anuncie

(21) 98462-3212

Novo estudo do Dauphin Island Sea Lab explora os possíveis efeitos da construção de pontes em peixes-boi

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Um peixe-boi nada entre os vãos da Mobile Bay Bridge no baixo Alabama, nos EUA. 
Foto: DISL’s Manatee/R. Symes/Divulgação

Uma nova publicação do Programa de Pesquisa de Mamíferos Marinhos (DISL) do Dauphin Island Sea Lab examina como a construção de pontes e atividades de construção na água podem afetar peixes-boi e outras grandes espécies aquáticas. O artigo, que foi publicado recentemente no “The Journal of Wildlife Management”, aborda as causas diretas de ferimentos e mortes e os impactos cumulativos de longo prazo sobre os peixes-boi e seus habitats.

Alguns problemas associados à atividade de construção incluem possível emaranhamento em barreiras, como barreiras e telas de assoreamento, perda de habitats importantes, como tapetes de ervas marinhas e aumento da atividade de embarcações perto de locais de construção.

“Batidas de barcos são uma das principais causas de mortes de peixes-boi, e o aumento da presença de barcos e barcaças nas zonas de construção coloca os peixes-boi em maior risco nessas áreas”, afirmou a autora principal e gerente da Rede de Avistamento de Peixes-boi do DISL, Elizabeth Hieb. “O aumento do ruído nas áreas de construção também pode mascarar o som das embarcações que se aproximam, tornando mais difícil para os peixes-boi evitar colisões”, acrescentou Hieb.

A nova publicação do DISL também analisa as melhores práticas para reduzir os efeitos negativos da construção nas espécies aquáticas. Os pesquisadores do DISL esperam que seu trabalho possa ser usado para melhor compreender e reduzir o escopo dos riscos associados à construção de pontes, marinas, lançamentos de barcos e outras infraestruturas.

Fonte: ENN