Anuncie

(21) 98462-3212

Pássaro considerado extinto por 170 anos é avistado em Bornéu

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Foto: BirdingAsia

Uma equipe de pesquisadores da Indonésia e de Cingapura encontrou evidências da existência contínua de um pássaro há muito considerado extinto. Em seu artigo publicado na revista “BirdingASIA”, a equipe descreve a história da ave, por que foi considerada extinta e como foi encontrada em Bornéu.

Em algum momento entre 1843 e 1848, um pássaro agora chamado de tagarela-de-sobrancelha-preta (Malacocincla perspicillata) foi capturado pelo naturalista Carl Alm Schwaner. Os registros da descoberta são incompletos, mas parece que o pássaro foi capturado na ilha de Java. Essa descoberta foi a única evidência da existência do pássaro – atualmente é rotulado como “dados deficientes” em textos de ornitologia. O pássaro foi armazenado e, nos 170 anos seguintes, não houve mais relatos de sua existência. Com o tempo, o pássaro e sua história ficaram conhecidos como “o maior enigma da ornitologia indonésia”. A maioria no campo presumiu que ele estava extinto. Então, no ano passado, uma dupla de pesquisadores, Muhammad Rizky Fauzan e Muhammad Suranto, capturaram um pássaro que não conseguiram identificar na parte indonésia da ilha de Bornéu.

Enquanto a equipe conduzia pesquisas sobre a ave nas fotos, logo ficou claro que sua descrição correspondia à da ave armazenada na Holanda. Um olhar mais atento confirmou que era de fato a mesma espécie – um tagarela vivo de sobrancelhas pretas.

O pássaro foi capturado em Kalimantan, perto do centro da ilha de Bornéu, e sua descoberta prova que o pássaro só foi considerado extinto porque as pessoas o procuravam no lugar errado. Sua existência também levanta a questão de quantos de suas espécies vivem em Bornéu e se está em risco.

Os pesquisadores gostariam muito de viajar para a região onde a ave foi encontrada, mas a pandemia restringiu as viagens à ilha. Eles planejam realizar uma excursão assim que possível. Enquanto isso, eles farão atualizações nos textos de ornitologia, não apenas para remover o tagarela-de-sobrancelha-preta como extinto, mas para fornecer mais detalhes sobre suas características físicas.

Fonte: Birding Asia