Anuncie

(21) 98462-3212

Pequinês vence o prêmio principal da 145ª edição do Westminster Kennel Club Dog Show, em Nova York

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
O pequinês Wasabi tem sangue de campeão nas veias. Ele é neto de um vencedor anterior no concurso.
Foto: Divulgação/Westminster Kennel Clube

Um pequinês chamado Wasabi, que é neto de um vencedor anterior, foi premiado o grande vencedor na tradicional exposição de cães do Westminster Kennel Club, nos Estados Unidos, conquistando a quinta vitória para a inconfundível raça canina. Um whippet chamado Bourbon foi nomeado vice-campeão.

Vitória por uma pequena, mas poderosa virada no ringue na noite do último domingo, O whippet Bourbon ficou em segundo lugar. Também estavam nas finais o buldogue francês Mathew, o old english sheepdog Connor, o westie Boy, o braco alemão de pelo curto Jade e o samoieda Striker.

Wasabi conquistou o prestigioso prêmio depois de vencer o grande American Kennel Club National Championship em 2019. “Ele tem jeito. Ele se encaixa no padrão da raça. Ele tem algo a mais, aquele brilho, que diferencia um cão ”, disse o treinador e criador de Wasabi, David Fitzpatrick, que guiou o avô do pequinês, Malachy, ao título de Westminster em 2012.

Como o Wasabi vai comemorar? “Ele pode comer um filé mignon. E vou querer champanhe ”, brincou Fitzpatrick, de Berlim Oriental, Pensilvânia, com uma risada. Ao todo, 2.500 cães campeões participaram da mostra.

O concurso passou por grandes mudanças este ano por causa da pandemia de coronavírus, saindo da cidade de Nova York pela primeira vez desde a criação do evento em 1877. O show deste ano foi realizado ao ar livre em uma propriedade no subúrbio de Tarrytown, cerca de 40 quilômetros ao norte de onde geralmente o evento é apresentado, no Madison Square Garden, e desta vez aconteceu em junho, em vez de fevereiro.

Em um sinal dos tempos de pandemia, alguns treinadores usavam máscaras – embora as pessoas vacinadas pudessem ficar sem ela – e o show foi fechado ao público.

Fonte: The Guardian