Anuncie

(21) 98462-3212

PI: Juiz suspende transferência de animais do Parque Zoobotânico de Teresina e determina perícia técnica

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O juiz da 1ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública da Comarca de Teresina, no Piauí, Aderson Antônio Brito, suspendeu em caráter liminar a medida de transferência e liberação dos animais do Parque Zoobotânico para santuários. O protocolo estabelecido pela Secretária de Meio Ambiente (Semar) tinha como objetivo começar a retirada dos animais a partir do dia 28 de julho.

No documento, o magistrado determinou a realização de perícias técnicas para verificar as condições da transferência dos animais. Estas deverão ser feitas por profissionais qualificados, como médicos veterinários, zootecnistas e biólogos. A liminar terá validade até apresentação das análises solicitadas.

Ação foi movida por populares

A ação que buscar impedir o esvaziamento do Parque Zoobotânico foi movida por um grupo de pessoas, através de Ação Popular. Entre estes, está a professora do curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Maria Christina Sanches Muratori.

O grupo defende que o ato de transferência dos animais promovido pela pasta não tem amparo técnico que assegure a correta aplicação dos preceitos ambientais exigidos, além de configurar desrespeito as Instruções Normativas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama).

Os defensores da permanência do zoológico também alegam que a maior parte dos animais do local estão em idade avançada e necessitam de cuidados especiais.

Juiz considerou risco ambiental

O juiz seguiu o argumento dos autores da ação e considerou que a remoção dos animais sem um estudo prévio de readaptação ao novo local, bem como das condições da transferência, podem causar danos irreparáveis aos espécimes.

“A intenção da medida de liminar não é obstar uma eventual transferência dos animais do Parque Zoobotânico, se assim for melhor, mas sim buscar o mais adequado interesse em favor dos animais, garantindo que sejam adaptados ao melhor local para sua sobrevivência”, pontuou.

Fonte: OitoMeia