Anuncie

(21) 98462-3212

10 cuidados essenciais com as calopsitas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

As calopsitas estão entre os pets mais queridos em todo o mundo. Também, pudera, como não se encantar com essas aves da família dos psitacídeos (a mesma dos papagaios, araras e agapórnis, entre outras) de comportamento tão alegre? Elas passam o dia ativas, emitindo sons, brincando e adoram interagir – com os humanos e com as suas companheiras de penas! Mas, para se manterem saudáveis e cheias de energia, são necessários alguns cuidados imprescindíveis.

E quem vai listar as dicas é a criadora, empresária e Tik Toker Silvania dos Santos, do Atelier dos Pássaros.

A criadora, empresária e Tik Toker Silvania dos Santos, do Atelier dos Pássaros. Foto: Divulgação/Atelier dos Pássaros

1- Alimentação

As calopsitas, assim como todos os psitacídeos, precisam de uma dieta rica em nutrientes e variada. A ração extrusada é ideal para usar como base da alimentação.

“Uma das maiores vantagens dos alimentos extrusados é que eles possuem a mesma quantidade de nutrientes em cada partícula, ou seja, não há a necessidade de comer uma combinação de alimentos para alcançar  o balanceamento ideal. Com isso, a calopsita não consegue escolher só os que mais gosta e você garante uma nutrição completa”, explica a criadora e empresária Silvania dos Santos, do Atelier dos Pássaros.

“Pode ser fornecido também mistura de sementes, farinhada à base de ovo, frutas, verduras e legumes como complemento”, ensina Silvania.

Ela também alerta: “Nunca dê comida caseira, como arroz e feijão (contém uma substância chamada ‘hemaglutinina’, que é prejudicial para as aves. Macarrão também não pode, porque pode causar sérios problemas de saúde em sua ave.”

Alimentação deve ser variada. Foto: Atelier dos Pássaros

 Outros alimentos proibidos são:

✔chocolates (pode causar convulsão e levar a morte ),

✔alface (diarreia)

✔tomate (intoxicação),

✔abacate (insuficiência cardíaca e hepática)

✔café (problemas cardíacos),

✔semente de maçã (possui cianeto, substância venenosa)

✔alho e cebola (causam problemas digestivos)

✔Pão, bolo, biscoitos, leite e derivados (problemas digestivos)

Além de refrigerantes, bebidas alcoólicas e doces em geral, que também são altamente prejudiciais.

2- Gaiola adequada

Adquira uma gaiola espaçosa.
Foto: Atelier dos Pássaros

O bem-estar e o conforto devem ser pensados em primeiro lugar. “A gaiola não pode ser muito pequena. Para não errar, tente comprar a maior gaiola ou viveiro que seu orçamento permita, ou esta deve ser pelo menos em tamanho suficiente para a ave abrir toda a envergadura de ambas as asas sem tocar as laterais da gaiola pelo menos. O ideal é que tenha um espaço interno que permita a ave se exercitar e varandas externas com uma porta ampla para que a ave mansa possa sair e facilitar o manuseio”, destaca Silvania.

A bandeja coletora precisa ficar dividida por uma grade no fundo da gaiola para evitar que a ave tenha contato com as fezes. “Garanta que a distância entre as malhas (grades) seja menor que o tamanho da cabeça da sua calopsita, ou ela tentará colocar a cabeça para fora das grades ou até ficar presa.”

3- Higiene da gaiola

Higiene é fundamental para a saúde e bem-estar dos pássaros. Deve ser feita a limpeza todos os dias das grades de fundo da gaiola, dos poleiros e comedouros. “Evite usar desinfetantes com cheiros fortes e produtos de limpeza que podem causar intoxicação nas aves. O ideal é lavar a gaiola com uma esponja e detergente neutro, além do desinfetante à base de amônia quaternária que tem a capacidade de eliminar vírus, bactérias e fungos (você encontra várias marcas nas pet shops). Esses produtos podem ser usados com segurança, se diluídos na proporção correta, e são próprios para limpeza de ambientes com animais”, explica a criadora.

A limpeza das grades de fundo da gaiola, dos poleiros e comedouros deve ser diária. Foto: Pixabay

A forração mais recomendada para o fundo de gaiolas e viveiros são os granulados higiênicos, que ajudam a absorver a urina e é atóxico. Outra opção é usar papel sem coloração (tipo sulfite). E Silvania alerta:
“NUNCA forre com jornal, nem permita que a sua ave tenha acesso de alcançá-lo para picar. A tinta do jornal contém chumbo e pode intoxicar a calopsita.”

4- Enriquecimento ambiental

As calopsitas são aves muito ativas e precisam se exercitar e se distrair. “Proporcione um ambiente rico ambientalmente, com brinquedos, que são essenciais, pois as calopsitas necessitam desgastar o bico. Os brinquedos são grandes responsáveis pelo bem-estar e saúde da sua ave. Um pássaro que vive interagindo com brinquedos apresenta melhores desempenhos em suas atividades físicas, habilidades e até mesmo reduz os gritos”, enumera Silvania.

5- Brinquedos

E por falar em enriquecimento ambiental, a escolha dos brinquedos não deve ser apenas pela aparência. Tem que pensar na segurança da ave e, para isso, deve-se evitar alguns tipos de brinquedos e materiais.

Os melhores brinquedos são os que estimulam as habilidades da ave. Foto: Atelier dos Pássaros

“Sempre verifique se a tinta é atóxica ou prefira os brinquedos naturais, para evitar algum tipo de intoxicação em sua ave . Evite brinquedos de ponta, borracha, canudo de suco, tintas de procedência desconhecida, peças muito pequenas, espelhos sem proteção em volta, ou qualquer coisa que seja utilizado material que desfia (tipo linha de crochê, que pode facilmente enrolar na unha da ave). Esses tipos de materiais podem soltar pedaços, engasgar e até causar algum tipo de acidente”, avisa Silvania.

Os melhores brinquedos, segundo a especialista, sempre são os que estimulam as habilidades e a inteligência e que proporcionam também o estímulo sensorial, social, físico e mental.

Leia mais: Conheça as aves da família dos psitacídeos mais populares

6- Higiene da ave

As calopsitas e demais psitacídeos em geral adoram se banhar e se manter limpos. “Deixe sempre uma banheirinha disponível, somente com água limpa, e retire-a logo após o banho para evitar que bebam a água suja. Nos dias mais frios, banhos são permitidos somente nos horários mais quentes do dia, sem expor a ave a correntes de vento. Já no calor, o banho é liberado à vontade durante o dia”, comenta Silvania.

Ela também indica acrescentar algumas gotinhas de vinagre de maçã na água do banho: “Além de dar brilho nas penas, também ajuda a afastar parasitas.”

E fique atento: JAMAIS dê banho na sua ave usando produtos de humanos, como xampu, condicionador e sabonete. “É que podem causar uma séria alergia nas aves, pois elas possuem um óleo natural em suas penas essencial para sua saúde”, avisa.

As principais maneiras de dar banho em calopsitas:

Calopsitas adoram se banhar.
Foto: Atelier dos Pássaros

Banheira: Essa é uma forma simples e eficaz. Basta deixar uma vasilha rasa, com um ou dois dedos de água próxima de sua ave. Sempre que tiver vontade, ela irá se aproximar e tomar banho de forma independente.

Borrifador de água: A água sai em uma suave borrifada simulando uma chuva. “Enquanto algumas calopsitas adoram, outras odeiam tomar banho assim! A dica é experimentar com sua penosa e, caso ela não goste, evitar utilizar no futuro”, ensina Silvania.

7- Voo ‘indoor

“Se a sua ave for acostumada a ficar solta fora da gaiola e voar dentro de casa, e se a sua opção é de manter as asas inteiras, tenha atenção redobrada com todas as rotas de fuga, como portas abertas, janelas e frestas da casa, que precisam ter telas de proteção apropriadas com espaçamento 3 x 3 cm. Tenha cuidado com ventiladores de teto ligados, panelas no fogo (a fim de evitar queimaduras), vaso sanitário aberto e baldes com água, (para evitar afogamento da ave)”, alerta Silvania.

Janelas, portas e frestas precisam ter tela de proteção. Foto: Pixabay

Leia mais: Entrevista: A encantadora de calopsitas

8- Descanso

Atenção a hora de dormir! As aves precisam de 10 a 12 horas por dia para uma boa noite de sono para se sentirem descansadas. Portanto, reserve um local tranquilo para acomodar a gaiola, sem muitos ruídos ou luz direta.

“Se você não tem um local assim na sua casa, uma opção é cobrir a gaiola até a metade, deixando uma fresta para entrada de ar e luz, pois com a gaiola coberta, a ave ficará mais calma, relaxada e longe da luz direta. A técnica também é recomendada para os dias mais frios, para proteger o pássaro. Por isso, quem está procurando como cuidar de calopsita no inverno, fica a dica!”, diz a criadora.

Cobrir a gaiola é uma boa ideia, mas fique atento ao tipo de tecido que irá usar para cobrir sua gaiola. “Cuidado com tecidos que desfiam (mantas, colchas de crochê, toalhas e etc.), pois os fios podem se enroscar facilmente nas unhas ou serem até engolidos. Dê preferência a tecidos como o de lençóis, que não soltam fios com facilidade”, destaca.

Se a ave está em processo de treinamento para cantar e falar, nunca passe de 15 a 20 minutos para não estressar o animal. “E dê preferência para fazer as aulas durante o dia, que a ave está mais ativa”, diz Silvania.

9- Exposição ao sol

A exposição à luz solar é fundamental para o bem-estar e manutenção da saúde da ave. “É através do sol que a sua calopsita vai produzir vitamina D (essencial no metabolismo do cálcio). É muito importante que a luz solar seja direta e não através de um vidro”, destaca.

“Devemos dar preferência pelo banho de sol no período da manhã, entre 8h e 9h. Uma saturação do tempo em exposição ao sol causa aos pássaros sintomas como abertura do bico, aceleração do ritmo cardíaco, abertura dos ombros em relação ao corpo e desidratação. Portanto, deve-se ter muito cuidado para não deixar a ave por um período muito prolongado sob o sol forte.”

10- Interação e companhia

As calopsitas amam interagir! Muito inteligentes, essas charmosas aves adoram se divertir com seus tutores, brincando, vocalizando e realizando diferentes atividades. Por isso, é essencial que você dedique alguns momentos do dia para brincar com sua amiga de penas.

Calopsitas curtem estar em bando e serão mais felizes tendo outras companheiras de penas. Foto: Atelier dos Pássaros

“As calopsitas são aves sociáveis e gostam de se sentir parte da família, assim como gostam de estar em bando, não só com outras da mesma espécie. Mas, isso também inclui os tutores”, observa Silvania. “Tirá-la da gaiola e levá-la como companhia enquanto você realiza atividades do dia a dia, tirar um tempinho para fazer carinho, ficar com ela no ombro e estimular atividades são ótimas formas de fortalecer os laços de amizade e confiança com sua ave”, complementa.

Se você passa muito tempo fora de casa, é interessante oferecer um companheiro da mesma espécie, que pode evitar a carência e a cobrança de atenção excessiva. “Podem ser aves do mesmo sexo ou até mesmo um casal. Certamente as aves ficarão mais felizes se tiverem companhia de um parceiro em sua gaiola para interagir na ausência do tutor, portanto, se possível, procure ter mais de uma”, aconselha Silvania.

Agradecimento: Atelier dos Pássaros.

Siga o Atelier dos Pássaros no Instagram: @atelierdospassaros

Site: https://www.atelierdospassaros.com.br/

*

*

*

***

QUE TAL FAZER UM CURSO ONLINE HOJE?

E-book ’12 passos infalíveis para a calopsita falar e cantar’. CLIQUE AQUI

E-book ‘Guia Definitivo Criação de Calopsitas’. CLIQUE AQUI

Curso online de ‘Voo Livre da Avoa’. CLIQUE AQUI

‘Tudo Sobre Galinhas Ornamentais – Como Elevar Sua Criação ao Nível Comercial. Todas as informações necessárias sobre a criação de galinhas ornamentais em um curso online. CLIQUE AQUI

Curso online Manejo de Criação de Galinhas Para Iniciantes 2.0. CLIQUE AQUI

E-book ‘Índio Adulto para Iniciante’. CLIQUE AQUI