Search

Anuncie

(21) 98462-3212

Sintomas de alergia alimentar nos gatos

Uma alergia alimentar dá origem a uma série de sintomas, como vômitos e diarreia. Fotos: Canva

As alergias alimentares são as mais comuns nos gatos. Elas ocorrem quando, após a ingestão de algum alimento ou substância tóxica, o sistema imunológico do animal desencadeia uma resposta adversa ou exagerada. Uma alergia alimentar dá origem a uma série de sintomas, como vômitos e diarreia. Portanto, é essencial saber identificar os primeiros sinais de alerta para levar o gato ao veterinário o quanto antes.

Nas alergias alimentares, o sistema imunológico identifica algo na dieta do felino como um corpo estranho. Então, reage de forma exagerada para ativar seus mecanismos de defesa e conseguir combatê-lo.

Essa resposta de hipersensibilidade envolve a liberação de altas doses de histamina (um neurotransmissor das células que participam das defesas do organismo) na corrente sanguínea. Consequentemente, geralmente ocorre não apenas desconforto gastrointestinal (vômitos, gases e diarreia), mas também distúrbios da pele, como vermelhidão e coceira.

Sinais de alergia alimentar

A alergia alimentar em gatos apresenta uma sintomatologia muito complexa. O que significa que pode causar uma ampla gama de sintomas, dependendo da dieta, do estado de saúde e das particularidades do organismo de cada animal.

Os sinais que listamos a seguir permitem identificar se seu gato de estimação é alérgico a algum componente de sua alimentação diária. Em primeiro lugar, as mudanças na pele, principalmente no pescoço e na face. O gato pode apresentar pele vermelha e escamosa, crostas ou úlceras. Muitas vezes, esses sintomas são acompanhados de queda de pelos

Se o seu gato for alérgico a algum alimento, ele pode coçar-se constantemente para aliviar o comichão. Esse hábito costuma piorar a vermelhidão da pele. Podem também ocorrer sintomas gastrointestinais, principalmente diarreia, vômitos ou regurgitamentos repetidos e colite. A exposição prolongada a alérgenos (substâncias de origem natural, que podem induzir uma reação de hipersensibilidade) pode causar síndrome do intestino irritável em gatos.

Um gato com alergia alimentar também pode ter alterações comportamentais e tornar-se hiperativo ou mesmo agressivo. Nos casos mais graves, a alergia alimentar em gatos pode causar distúrbios respiratórios e neurológicos, como convulsões, dificuldades respiratórias e asma.

Se o gato for alérgico a algum alimento, ele pode coçar-se constantemente para aliviar a irritação

Substâncias que intoxicam: mantenha fora da dieta do animal

Numerosas substâncias podem provocar intoxicações nos gatos:

Sal de cozinha: Quando consumido em quantidade excessiva, o sal é tóxico para o gato. Sede intensa, diarreias, convulsões e falta de coordenação motora são os sinais dessa intoxicação. O melhor antídoto neste caso é a água.
Cebola: Mesmo cozida ou desidratada, tem propriedades hemolíticas (destruição dos glóbulos vermelhos) e pode provocar anemia.
Chocolate e café: O consumo de cacau em pó, chocolate ou café acarreta alta excitabilidade, forte produção de urina, crises tetânicas e, eventualmente, até a morte do animal.
Açúcar: Nada de dar doces ou açúcar puro para o gato. Além de ser extremamente prejudicial à saúde dos bichanos, causando cólicas, flatulências e problemas no trânsito intestinal, suas papilas gustativas não sentem o sabor de alimentos doces.
Ovo cru: Ovo pode ser oferecido esporadicamente para o gato, desde que seja cozido. Dessa forma, evita-se que o animal consuma bactérias como a salmonella.
Certos tipos de frutas: Entre as frutas proibidas estão uva e uva-passa, abacate, carambola, caqui, cerejas e frutas cítricas (laranja, limão, tangerina). Apesar de a banana ter sabor agradável ao paladar dos gatos, esta também não deve ser oferecida, pois provoca diarreias nos felinos.
Leite: Felinos adultos geralmente têm intolerância à lactose e a ingestão de leite pode causar diarreia, vômitos e dor de barriga.

Diagnóstico e tratamento de alergias alimentares

É importante ressaltar que, que quanto mais tempo o seu gato estiver exposto aos componentes alergênicos ou tóxicos de sua dieta, mais os sintomas tendem a piorar. Como muitos alimentos e substâncias podem ser alérgenos, geralmente são feitos testes de exclusão para identificar a causa específica da alergia alimentar de cada gato. Exames de sangue e de ultrassom são comumente solicitados para identificar qual elemento está causando a alergia.

Após o veterinário identificá-lo, o tratamento será baseado em fazer os ajustes necessários em sua dieta, como incluir rações hipoalergênicas ou, em alguns casos, medicação. No caso de intoxicação alimentar, podem ser necessários tratamentos mais específicos.

Regra geral

A alimentação talvez esteja na origem dos principais problemas de saúde de um felino e também pode desempenhar um papel corretor. Como regra geral, o tutor do felino deve:

-Garantir sempre água fresca e limpa
-Dividir a ração em duas ou três pequenas refeições diárias
-Escolher alimentos de fácil digestão
-Reforçar o fornecimento de minerais solúveis. Portanto, oferecer uma ração balanceada e de alta qualidade nutricicional é sempre a melhor opção para manter o animal saudável.

Lembre-se ainda que, se estiver pensando em variar a alimentação ou incluir outros itens no cardápio do pet, sempre consulte antes o veterinário.

Leia mais: Seis alimentos que você jamais deve dar ao seu cachorro ou gato

Leia mais: Sinais de cálculos renais em gatos

Leia mais: Perigos domésticos para os gatos

Por MB.